Brasilian Music Treasure Hunt
-notes from a search for musical treasure from Brazil -a quest for insight and understanding with a tendency to lapse into compulsive shopping


links open windows




This page is powered by Blogger. Why isn't yours?





Subscribe with Bloglines


contact





home





2003-06-20
now playing: Trio Calafrio

Rádio Viva Rio:
A brasilidade e a inventiva do Trio Calafrio
Se dependesse das intenções dos grandes conglomerados que hoje ditam a regra no mercado mundial do entretenimento, a música popular brasileira seria, toda ela, igualzinha à de todo o mundo: o mesmo play-back, o mesmo romantismo infantil e sexualizado, as mesmas letras sem conteúdo. Música que faça parar, refletir, tirar conclusões? Neca de pitibinéris! Nem pensar!

JB Online:
Sotaques maranhenses
Em mês de festa folclórica, São Luís atrai grupos de todo o estado para dançar com personagens como Dona Teté e Mestre Felipe, ambos de 79 anos
Da África às 'big bands' americanas
Os cinco sotaques tradicionais são os de matraca (instrumento de percussão de duas tábuas que gera um som seco), de pindaré (ou Baixada, referência à região de origem), de zabumba (o que guarda maior influência africana), de orquestra (o mais recente, de influência das big bands americanas) e o de costa-de-mão (ou de Cururupu, em que os pandeirinhos são tocados com a costa da mão).

Correio da Bahia:
A mais típica festa brasileira está na tela
O documentário "Viva São João!", de Andrucha Waddington, passa hoje na tevê e chega nas locadoras
Xotes e baiões para falar de amor
Carlos Villela é um desses cantadores de forró que não abrem mão da genuinidade rítmica e poética do gênero. Fazendo uma linha mais romântica, tão bem explorada por Dominguinhos e Flávio José, só para citar dois exemplos de peso, a sua música vem embutida de sensibilidade e cuidado estético em xotes e baiões que falam de amor, saudade, amizade, homenagens e lugares.

Estadão:
Carlinhos Brown vira Carlito Marrón na Espanha
No novo CD, lançado antes na Europa, o músico prova o gosto da world music e muda até de nome, virando Carlito Marrón

Diário do Nordeste:
O ilusionismo pop de Ed Motta
O novo “pop” de Ed Motta tem mais veredas sonoras do que podem supor as nossas contingências tribalistas.
Cheiro de forró
O Ceará transformou-se em pólo exportador desse forró eletrificado com uma infinidade de bandas tão grande, que muitas vezes o público não sabe muito bem quem é quem
As artes de um paraibano invocado
O nome artístico é invocado: Parahyba. Soa como uma espécie de versão psicodélica para o nosso regionalismo mais estereotipado. Mas não é bem assim.