Brasilian Music Treasure Hunt
-notes from a search for musical treasure from Brazil -a quest for insight and understanding with a tendency to lapse into compulsive shopping


links open windows




This page is powered by Blogger. Why isn't yours?





Subscribe with Bloglines


contact





home





2001-09-07
Samba & Choro:
Coletânea vagabunda de Clementina de Jesus nas lojas
Tá certo, não é nenhuma grande novidade: a EMI colocou no mercado uma nova coletânea de Clementina de Jesus, o nome é Clementina de Jesus para Sempre. Segue a praxe das coletâneas vagabundas: escolhas sem critérios e necas de informação. Para quem já tem a "Raízes do Samba", esta pelo menos tem várias faixas diferentes. Estou colocando o repertório como comentário.
Lançado disco da Velha Guarda homenageando Paulo da Portela
Finalmente saiu em CD no Brasil o último disco que nos faltava da Velha Guarda da Portela. Comemorando o centenário de nascimento do fundador da escola, está sendo lançado o "Homenagem a Paulo da Portela". Tenho amigos que consideram este o melhor disco do grupo, já eu sou incapaz de escolher o melhor dos discos de meu grupo favorito, são todos excelentes. Este disco foi produzido pelo japonês Tanaka e teve um lançamento relâmpago no por aqui em LP por um selo que acabou logo depois.
"Gargalhada", Paulo Sérgio Santos Trio em CD
Ainda outro dia um amigo meu estava contando a sacanagem que gosta de aprontar com instrumentistas de sopro. Sempre que está em uma roda e, após perguntar se pode pedir uma música do Pixinguinha, pede "Gargalhada". A diversão é ou ver o músico desconversando para fugir da raia, ou se enrolando na terceira parte da música. A brincadeira não iria funcionar com o Paulo Sérgio Santos, o sujeito é tão fera que usa a música para dar nome a seu novo disco: "Gargalhada". Um discão de choro.

A Crítica:
A eterna musa da bossa nova
O jornalista e escritor Sérgio Cabral conta a vida de Nara Leão, a cantora que popularizou a bossa nova

A Tarde:
Cidadão tropicalista
Guilherme Araújo completa 65 anos amanhã. Dia em que, às 16 horas, este senhor carioca recebe, por iniciativa do vereador Juca Ferreira (PV), o título de Cidadão de Salvador. As razões da homenagem são inúmeras. Para quem não sabe, Araújo, que divide o tempo entre o Rio de Janeiro e Nova Iorque, foi o primeiro empresário do quarteto baiano Gilberto Gil, Caetano Veloso, Tom Zé e Gal Costa.
Guilherme, por Caetano

CliqueMusic:
O Professor Pardal da música brasileira
O pesquisador Omar Jubran prepara resgate das obras de Ary Barroso, Lamartine Babo e até de Jards Macalé
Jorge Aragão: tranqüilo e multiplatinado
Sambista lança Todas, primeiro álbum após o estouro de seus CDs ao vivo, e diz que seu negócio é compor
Leny Andrade - E Quero que a Canção... Seja Você
E Quero que a Canção... Seja Você é um tributo que Leny Andrade presta a Ronaldo Bôscoli, recriando algumas de suas mais famosas canções. Como não poderia deixar de ser, o disco pende para o lado da bossa nova - junto a Roberto Menescal e Carlos Lyra, Bôscoli perpetrou vários standards do gênero.
Naná Vasconcelos - Fragmentos
Este não é um novo trabalho de Naná Vasconcelos, e sim uma compilação de temas que o músico compôs para filmes e espetáculos teatrais. Como seria de se esperar num trabalho como este, a coesão sonora entre as diversas faixas não é o forte do disco, e por vezes o ouvinte ressente-se da falta de referências sobre as obras que serviram de inspiração para as músicas.

Correio da Bahia:
Festival de música instrumental está de volta
Reedição do antológico evento dos 80, novos espaços e projetos comprovam retomada do gênero

Correio Braziliense:
Leila não empolga em CD ao vivo
De volta à gravadora Universal Music, a cantora Leila Pinheiro se rende à fórmula dos discos ao vivo ao lançar Mais Coisas do Brasil, em que interpreta antigos sucessos da carreira, como Besame (Flávio Venturini e Murilo Antunes) e Verde (Eduardo Gudin e Costa Netto). Em Mais Coisas do Brasil, Leila ainda regrava composições que fizeram sucesso em outras vozes, como Você em Minha Vida (Roberto Carlos), Tudo Bem (Lulu Santos) e Andar com Fé (Gilberto Gil), entre outras.

JC Online:
Choro de Jacaré é feito de sonho e amargura
Cavaquinista elogiado por músicos de renome nacional, aos 72 anos ele leva uma vida árdua, tocando em bares, mas acalenta lançar seu segundo disco com composições próprias
"Todo dia saio atrás da música"
Depois que deixou de ser músico nas rádios, Jacaré ainda integrou conjuntos de bom nível que se apresentavam em hotéis nos bairros da Boa Vista (São Domingos) e Boa Viagem (Casa Grande & Senzala). "Era com carteira assinada", lembra. "Eu ganhava mais do que na rádio." A experiência no setor hoteleiro, no entanto, não chegou a uma década.
A infindável busca de Maria Bethânia
Cantora baiana não se contenta em repetir algo que já fez e reúne a nova e a velha guarda da MPB em seu novo disco - Maricotinha
Maurício Carrilho apronta disco de Canhoto
O músico Maurício Carrilho está de viagem marcada para o Recife, na próxima segunda-feira. Por telefone, do Rio de Janeiro, o também produtor antecipou que vem "trocar figurinhas" com alguns colegas pernambucanos e tem como missão mais importante solicitar a autorização para lançar, em CD, alguns fonogramas do violonista Canhoto da Paraíba. O disco, com 13 faixas, sairia pelo selo Acari, de Maurício e sua sócia, Luciana Rabello.

Folha Online:
Maria Bethânia celebra a MPB em auto-homenagem
Pareceu um espetáculo feito ao léu, talvez às pressas. Maria Bethânia comemorou anteontem, no Rio, com mais de um ano de atraso, seus 35 anos de carreira. Estava cercada de uma constelação impressionante de astros e estrelas da MPB, mas ainda assim tentava driblar a solenidade.
Bebel Gilberto reinventa bossa nova no Grammy Latino
Bebel Gilberto tem no sangue heranças nobres da MPB. É filha do mestre da bossa nova João Gilberto e sobrinha de Chico Buarque. Depois de uma tímida estréia no universo musical, ela vem conquistando o sucesso merecido não só pelo nome que carrega, mas também por seu talento. Bebel está concorrendo este ano ao prêmio de artista revelação no Grammy Latino com o disco "Tanto Tempo".

Jornal de Brasília:
O sax feminino de Daniela
Saxofonista carioca do grupo Rabo de Lagartixa toca
de hoje a sexta-feira no Clube do Choro.

Jornal do Brasil:
Marco acústico de Gil
Show imperdível de 7 anos atrás ganha uma vitaminada edição digital
Festa de Bethânia, excesso de estrelas
Entra-e-sai no palco, beijo em Calcanhotto e duetos desencontrados marcam show que festejou 35 anos de carreira da cantora
''Chega de virar a noite''
No auge da popularidade, Jorge Aragão volta ao disco de estúdio e diz que quer aposentar-se de shows
Mais ouro que brilho
Na sua corrida do ouro (lícita, justa, tardia), Jorge Aragão tropeçou no ano passado num segundo disco ao vivo, que tentava toscamente repetir o inesperado sucesso do anterior (de 99), e agora volta à trilha mais tradicional, a dos trabalhos de estúdio. Mas volta com um olho na tradição e outro no ouro.
Eloqüente abrangência do choro
Velho gênero tem conceito ampliado e abarca samba-canção, bolero tropicalista, baião e coco em novos CDs
Sambista em tempo integral
Apostando na boa fase do gênero, o ex-fiscal do INSS Celso Viáfora se mantém imune às ordens do mercado
Um velho novato sem vanguardices
Zeca Pagodinho já não canta sozinho, com o discípulo Dudu Nobre a tiracolo. O samba de raiz tem novo gladiador contra os moinhos (em fase de desativação) do pagode de boutique na pele do paulista Celso Viáfora em seu Basta um tambor bater (Jam Music). Bem, novo é força de expressão. Para quem acha que a MPB é uma natureza morta, Celso, 41, tem nada menos que 22 anos de ralação.

no.com.br:
Arthur Dapieve : Dois em 100
Podemos concordar. O pacote "RCA - 100 anos de música" é excelente. No entanto, apesar do relativo baixo custo dos lançamentos remasterizados em CD (R$ 15, em média), vale a pena destacar um ou outro item sem a qual uma boa discoteca não pode passar. Um: "Quatro grandes do samba - Nelson Cavaquinho, Candeia, Guilherme de Brito e Elton Medeiros", de 1977. Outro: "Cartola 70 anos", de 1979.
O Dossiê Caymmi
"Influências", novo disco de Dori Caymmi, traz arranjos primorosos que explicam porque Caetano Veloso o considerou um dos maiores acontecimentos de sua vida recente.
O imperfeito Simonal
O enorme e imperfeito talento de Wilson Simonal volta em coletânea e relançamento de luxo que recupera fase final de sua acidentada carreira.
Arrasa, Cauby!
O mais almodovariano dos cantores volta com disco antológico que é puro exagero. Ao lado de bossa, bolero e standards, um inacreditável "Amore scusami" em ritmo de cha-cha-cha.

O Popular:
Celeiros de músicos
Importante meio de divulgação cultural, as bandas formam os músicos do futuro e funcionam como ponte entre comunidade e arte
Trabalho para jovens carentes
A tradição das bandas militares
Com mais de 100 anos, grupo da PM ajuda na formação dos oficiais e estreita relação com a sociedade. Repertório variado atende a pedidos

Valor Econômico:
"Apogeu e queda de um rei negro"
Esse será o título do filme que o humorista Claudio Manoel fará em homenagem a Wilson Simonal.

All Brazilian Music:
Under the kind shadow of the great Tom
Ivan Lins releases Jobiniando, an album inspired by the music of Tom Jobim and produced by Roberto Menescal
Ivan Lins - Jobiniando
Gal Costa - De Tantos Amores
João Donato - Ê Lalá Lay-ê